CANAL EUROCHANNEL deve voltar ao line-up de grandes Operadoras!

Ausente da grade das principais operadoras de TV paga no Brasil, o Eurochannel se prepara para voltar ao país. O sinal do canal já começou a ser testado pela Oi TV. A Folha apurou que a entrada deve ser anunciada oficialmente em breve.
Criado no Brasil há cerca de 20 anos, o Eurochannel está hoje em 42 países. Por aqui, desde 2013, estava presente apenas na Vivo TV, na Net de Belo Horizonte e em outros operadores regionais. Com a incorporação pela Oi TV, o canal voltará a ter alcance nacional.
Apesar de estar na lista de exceções da Ancine e não precisar cumprir cotas, muitas operadoras trocaram seu sinal pelo de canais brasileiros, com a desculpa de que precisavam do espaço para quem atendesse às especificidades da lei. O Canal por ser Independente e completamente dedicado ao conteúdo europeu, tem sua  programação ancorada em filmes e séries de países do Velho Continente.
A CHANCE DA GRANDE VOLTA?!!!
Segundo o presidente do Eurochannel, Gustavo Vainstein, existe a possibilidade de que, no futuro, o canal tenha conteúdo produzido no Brasil com temática europeia. No momento, também há negociações com operadoras como Net e Sky para que o canal volte a suas grades, mas sem previsão de data.

TV Por Assinatura fecha o primeiro semestre com 18,97 milhões de assinantes!

 

O Brasil fechou junho de 2014 com 18,97 milhões de assinantes de TV paga, uma penetração de 29,02% dos domicílios, segundo dados divulgados pela Anatel nesta terça, 29. O destaque foi para o forte desempenho da Net e da Vivo TV.

 

O grupo mexicano América Movil é o grupo econômico com a maior participação de mercado (53,28%), com uma base de 10,1 milhões de assinantes. Sob o guarda-chuva do grupo (que a Anatel ainda chama de Telmex) estão a Claro hdtv (3,7 milhões de assinantes, crescimento de 10 mil no mês) e a Net (6,4 milhões de assinantes, crescimento de quase 60 mil no mês). A Sky tem uma fatia 29,61%, chegando a 5,61 milhões de lares (crescimento líquido de 38 mil clientes no mês).

 

Na sequência vêm a Oi, com 886,55 mil assinantes (crescimento de 23 mil no mês); Vivendi (GVT), com 799,31 mil (crescimento de 14 mil); Vivo TV, com 687,81 mil (com um significativo crescimento de 70 mil clientes no mês); Big Brasil, com 159,19 mil; Algar (CTBC Telecom), com 133,28 mil; NossaTV, com 113,74 mil; Cabo Telecom (Natal), com 49,31 mil. Outras operadoras de menor porte dividem uma base de 417,05 mil.

 

O DTH continua avançando sobre as outras tecnologias de distribuição. A base de assinantes do serviço por satélite no final do semestre foi de 11,62 milhões, enquanto o cabo tinha 7,11 milhões de assinantes. A distribuição por fibra (FTTH) chegou a 61,49 mil assinantes, enquanto o MMDS fechou o semestre com 12,79 mil assinantes.

 

Com o desempenho das operadoras em junho, o crescimento anualizado do mercado ficou em 11,7%. É o segundo aumento seguido na taxa de crescimento, possivelmente impulsionado pelas vendas da Copa do Mundo.

 

Brasil

 

Na divisão geográfica, a maior densidade está na região Sudeste, em que o serviço chega a 41,19% dos lares, totalizando 11,68 milhões. Pela ordem, seguem as regiões Sul, com 2,8 milhões (densidade de 28,42%); Centro-Oeste, com 1,34 milhões de assinantes (26,64% dos lares); Norte, em 824,65 mil lares (17,25%); e Nordeste, em 2,27 milhões (13,34% de densidade).

DADOS Segunda a ANATEL/Fonte: TELETIME

 

EXCLUSIVO TAD: O Crescimento Avançado da TV PAGA Hoje!

O Brasil encerrou 2013 com um total de 18,020 milhões de domicílios com TV por assinatura. Segundo projeção da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), o serviço já chega a 28,4% das residências do país e está disponível para 57,7 milhões de telespectadores.

Mas a alta de 2013, de 11,3% sobre 2012, foi o menor crescimento em oito anos. Desde 2005 o mercado de TV por assinatura não desacelerava tanto. O resultado, no entanto, não assusta, até mesmo porque é bastante robusto. Nesses oito anos, o mercado saiu de um cenário de estagnação e se solidificou. Mais que quadruplicou o número de assinantes (foi de 4,2 milhões no final de 2004 para os 18 milhões de hoje). Nos últimos anos, o setor cresceu acima de 20% anuais em 2010 (30,7%), 2011 (30,5%) e 2012 (27%).

Um levantamento do jornalista Samuel Possebon, da Pay-TV News, mostra que o crescimento, contudo, está concentrado nas grandes operadoras.

A Net fechou 2013 com 6,06 milhões de assinantes de TV por assinatura. No acumulado do ano, conquistou 687 mil novos clientes e cresceu 12,7%.

A Sky encerrou o ano com 5,37 milhões de assinantes. Mas, como teve de desconectar no primeiro semestre 200 mil clientes que estavam inadimplentes, acumulou um crescimento anual de apenas 6,6%, com 332 mil novos usuários.

A Claro TV cresceu 15,3% no ano e tem agora 3,6 milhões de assinantes.

Quarta maior operadora, a OiTV vem perdendo assinantes nos últimos meses (foram 62 mil somente em dezembro). Concluiu 2013 com 829 mil usuários.

A GVT teve o maior crescimento proporcional (59%) e fechou o ano com 677 mil clientes.

A Vivo voltou a crescer, mas mesmo assim ficou no vermelho no ano passado: perdeu 8.000 assinantes, fechando com 594 mil. Segundo a Pay-TV, todas as demais empresas conquistaram apenas 2.000 novos assinantes.

SUPERANDO A TV ABERTA E BATENDO RECORDE DE AUDIÊNCIA!:

Nunca se viu tanta TV por assinatura como atualmente. Em março, o conjunto de canais pagos atingiu a maior audiência de toda a história. Marcaram 7,2 pontos na medição de TV paga, o que equivale a uma audiência média diária projetada de 4,2 milhões de telespectadores em todo o país. Assim, superou o recorde de setembro de 2006, quando atingiu 6,9 pontos graças à fuga do horário eleitoral na TV aberta.

Um ponto na TV paga equivale a cerca 184 mil domicílios ou 589 mil telespectadores, numa projeção para todo o país, que fechou março com 18,41 milhões de residências e quase 59 milhões de pessoas com acesso ao serviço. Esse dado não é oficial do Ibope, mas muitas programadoras o usam.

LOGOMARCA DA REDE GLOBO DE COMUNICAÇÃO

Outra informação que confirma o bom momento da TV fechada: o conjunto dos canais pagos já tem mais audiência, entre os assinantes de TV por assinatura, do que a Globo. Tradicionalmente, a Globo sempre teve mais ibope no cabo e no DTH do que todos os canais pagos juntos, mas essa realidade mudou em julho do ano passado.

Em fevereiro e março, no entanto, a diferença da audiência dos canais pagos para a Globo foi a maior da história. Até janeiro, os canais pagos venceram a Globo por diferença apertada, não superior a 0,42 ponto (em setembro de 2013). Em janeiro, a diferença foi de apenas 0,16 ponto. Em fevereiro, essa diferença saltou para 1,87 ponto. Em março, novo salto: 2,17 pontos. Os 7,2 pontos dos canais pagos foram 43% superiores aos 5,03 pontos da Globo.

Os dados refletem o crescimento da base de assinantes no país verificado nos últimos anos, embora o ritmo tenha caído da metade de 2012 para cá. Há outras duas explicações para a “explosão” em fevereiro e março: a queda de audiência da novela das nove da Globo e a reorganização do line-up de canais da Net.

De janeiro para março, no horário da novela das nove, a Globo perdeu 11 pontos na Grande São Paulo. Os dados da medição de TV aberta do Ibope indicam que metade desse público migrou para canais pagos e pequenas redes abertas.

A reorganização do line-up da Net, maior operadora do país, agrupou canais por gêneros de programação e foi concluída em janeiro na Grande São Paulo, principal mercado do país. Segundo a operadora, muitos assinantes estão vendo canais que antes desconheciam.